sábado, 5 de novembro de 2011

Bicicletas do ano em que nascemos

Raleigh Record Ace - 1951

Fonte: Sheldon Brown

Huffy Radiobike - 1955

Fonte: Ashland High School

Caloi Sprint - 1982

Fonte: Aquela Antiga Bicicleta

Ritchey Ascent - 1986

Fonte: Trek4Fun

Trek 820 - 1987

Fonte: Bicycle Museum

Trek 1000 - 1988

Fonte: Bicycle Museum

Trek 450 Disc - 2011

Fonte: Trek Brasil

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Pega Vareta

Alguns problemas são que nem pega vareta...

Se eu tirar do caminho, o resto desmorona. Ui...

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Um lugar no Paraíso



Eu sempre gostei tanto de viver assim, longinho...

Foi aqui que dormi a maior parte das noites, envolvida no silêncio e na tranquilidade. Aqui que aprendi a andar de bicicleta, fui pra asfalto, trilha e praia. Convivi com pessoas que vão morar pra sempre no meu coração. Cresci respirando um ar mais limpo e uma temperatura mais amena.

Eu sempre fui a maior defensora de morar aqui... Até que um dia descobri o que é trabalhar, estudar e não ter escolha. E hoje acho que é muito sofrido, o ir e vir. Não vale mais a pena.

Por isso procuro meu cantinho no Paraíso.
Hoje não pertenço a lugar nenhum.

domingo, 18 de julho de 2010

De volta ao início

Ei! Tem alguém aí???

Fiquei tanto tempo sem escrever nada... Estou vivendo um momento em que é mais importante sentir do que escrever. Mas não vim falar sobre isso agora.

Preciso voltar ao assunto do blog: o carro.

Desde o início deste mês tenho ido pro trabalho de carro (não faça essa cara, vou explicar os motivos).
Uma boa parte disso se deve ao fato de que esqueci o quanto é chato e estressante ficar no trânsito. Quando chove eu até que fico estressada, mas no mês de julho o trânsito é normalmente mais leve.
O outro e principal motivo é que mudei de emprego e estou de férias da faculdade. De casa pro novo trabalho seriam 2 ônibus, não tem opção de metrô ou trem. Não tem nenhum corredor de ônibus. Ou seja: eu ia demorar muito mais.

Então resolvi fazer igual todo mundo e me entregar ao sistema. Uma coisa curiosa é que nem passo por áreas de rodízio, posso ir de carro todo dia!
De bike? Demoraria muito mais também, a distância é um pouco longa e por caminhos bem complicados. Sem contar que agora ando vestida de "gente grande".
Enfim, não vou dar desculpas... Só queria deixar registrado, como fiz em todas as outras vezes.

A partir de agosto, início das aulas, voltarei a andar de metrô todos os dias, que é o melhor a fazer quando há esta opção.

sábado, 24 de abril de 2010

DEFINITIVO


Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.


Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.


Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.


Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.


Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.


Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.


Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.


Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso:


Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.


A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Hoje usei o carro!

É verdade... Hoje cometi este pecado e vim trabalhar de carro. Por ser quarta-feira de cinzas, imaginei que as ruas estariam vazias, e acertei. Demorei 40min pra chegar aqui, contra 1:30h que levaria para vir de trem + ônibus.

Podia ter vindo de bike, aproveitando as ruas mais vazias. Mas essa ideia eu só tive depois.

Se tiver congestionamento no fim do dia, é azar o meu!!!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Carnaval: como está o trânsito hoje?

Véspera de carnaval, possibilidade de chuva... Hoje o dia promete!

Às 9h a CET já registrava 107km de lentidão.



Se for possível, postarei também o gráfico do fim da tarde... Vamos ver!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Chuva e protestos

A chuva de terça-feira provocou inúmeros alagamentos em diversos pontos da cidade. A população, a mesma população que invadiu essas áreas a alguns anos, protesta, entra em conflito com a polícia. A prefeitura aparentemente apóia as invasões, colocando infraestrutura em áreas de risco.

SustentaBlog escreveu:


ENCHENTES
Se a cidade avança sobre as várzeas, o rio toma de volta o que é dele.

A prepotência humana em querer domar a natureza, é no mínimo irresponsável.

Chover é preciso, e como não existe mecanismo que controle a chuva, então controlar a ocupação desordenada deveria ser a busca incessante desses humanos.

Choveu e agora, a culpa é de São Pedro, dizem alguns especialistas e políticos energúmenos.

E a chuva? Vai continuar chovendo, como sempre foi desde o início dos tempos, quem chegou depois que se arrume!!!!!!!!!!!


Obs: muitas fontes da informação não sabem a diferença entre Grajaú, Jd. Eliana e Cidade Dutra. Eles não sabem usar o Google. Cuidado ao ler.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Feliz 2010

Queima de fogos in the middle of nowhere...


... e chegou 2010!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Hoje São Paulo alagou

Hoje São Paulo alagou... Mas como não vi TV e nem ouvi rádio, não tenho muito a dizer sobre isso. Pelo pouco que vi na internet, inclusive no site da CET, parece que o problema maior foi nas marginais.

Estou completamente distante de assuntos de trânsito: a vida que pedi a Deus desde o início da existência deste blog. Todos os dias vou trabalhar a pé. Só hoje peguei metrô porque chovia bastante. A cidade alaga, eu mal fico sabendo.

À tarde precisei ir do Anhangabaú pra Santo Amaro e depois pra Interlagos. Só ônibus vazios, avenidas vazias. Parecia feriado. Quando chegamos ao Terminal Santo Amaro, a moça ao meu lado perguntou as horas: "18:01, eu respondi". E ela, rindo: "ah, pare de falar mentira!"
Hahahaha... Parecia mentira mesmo. Acho que metade dos paulistanos não saiu de casa hoje.

Obs: Você já viu um gráfico de lentidão mais estranho que esse? Compare com o do dia 8 de setembro.


Comecei a ler Marley e Eu. Férias da faculdade =)

domingo, 15 de novembro de 2009

Quanto vale a pressa?


Oração ao redor da Ghost bike para Fernando Martins Couto e Antônio Ribeiro.


Foto: Willian Cruz

Saiba mais em: +Vá de Bike!+; Babikers

quarta-feira, 11 de novembro de 2009